sexta-feira, 17 de abril de 2009

Anita


Ainda se lembram destes fantásticos exemplares!!??? Eu e a mana tínhamos a colecção inteirinha!!! Soube por uma amiga que os reeditaram como colecção... fiquei enternecida!!!

Que bons eram estes meus momentos de leitura partilhada... a mana contava a história e eu, já naquele tempo, "recitava" a moral da história... Bons tempos!!!

4 comentários:

Petra disse...

A coleção toda não tenho. Mas ainda tenho 2 ou 3 livros da Anita datados de 1984 - já lá vão 25 anos.
Curiosidade : 1 deles ainda tem o preço 260$00. HiHiHi. Como o tempo passa. No entanto parece que existem coisas realmente intemporais, como os livros da Anita. Já os li a Rafaela e deu para reparar que continuam a fazer as delicias de algumas crianças.

Jocas.

sofia wahnon disse...

Vou ter que dizer que tenho mais que dois ou três, guardo pelo menos uma dezena deles. Era fã da Anita e até tenho alguns em versão castelhana, a Martita, que no início dos anos 80 os meus me compraram durante umas férias que passámos em Espanha. Gostava tanto da Anita que quando a minha irmã nasceu pedi muito para que tivesse o nome desta heroína, sem sucesso, porém :-( Hoje, o meu filho com 5 anos delicia-se também sempre que vemos estes livros, comentando os seus pormenores realistas, e claro, já para não falar do Pantufa – noto que gosta bastante da “Anita aprende a andar de bicicleta”, ou a “Anita aprende a Nadar”, ou ainda a “Anita viaja de Avião”. Pessoalmente não sei dizer qual o meu favorito, mas guardo com especial carinho a “Anita Mamã” que, segundo a minha mãe, foi mesmo o meu primeiro.
A colecção tem de facto os contornos de um clássico - com mais de 40 anos, criado na Bélgica (aí Martine) é um sucesso em todo o mundo, inclusive em países culturalmente tão distantes como a Indonésia. Porque será? Seria uma investigação muito interessante para levar a cabo (se é que já não foi)…afinal que elementos podemos encontrar na Anita que despertam invariavelmente a sensibilidade infantil? Li numa entrevista, pela altura em que o ilustrador, Marcel Marlier, esteve em Portugal, que a sua inspiração pelo menos para a primeira série de Anitas lhe tinha advindo da vida quotidiana dos seus filhos, e pasme-se, todos eram rapazes. Creio pois que a “fórmula” para o sucesso é muitas vezes verdadeiramente um mistério

sofia wahnon disse...

Então e a Vera não me dizia nada?!

é claro que foram os meus "PAIS" que lá pelos (idos, idos) anos 80 me ofereceram a Martita...;)

Xana disse...

Hoje vim dar uma olhadela pelos outros blog's da escola.
Há muito tempo que por aqui não passava, tenho andado com pouco tempo.
Ao ver este post não resistir a escrever. Eu adorava os livros da Anita. "Anita e o Dia dos Anos", "Anita no Ballet" (praticava as posições em frente ao livro).
Actualmente na estante dos livros de receitas tenho "Anita na cozinha" que não resisti a comprar já depois de crescida numa Feira do Livro.
Uma colecção fantástica.
Bjs Mãe Xana