terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Regras...quem as dita??? O adulto ou a criança??

À medida que desenvolvem a sua autonomia e descobrem aquilo que gostam e não gostam de fazer, as crianças começam a testar os limites da paciência dos pais. A dada altura, contrariá-los passa a ser o seu desporto favorito.
À necessidade de vestir o casaco, arrumar os brinquedos ou acabar a comida que têm no prato respondem com um rotundo e irritante «Não!».
Os pais mandam lavar os dentes, não vão, mandam parar de saltar em cima do sofá, não param, mandam desligar a televisão, não obedecem.
As estratégias para impor autoridade variam consoante os especialistas e, claro, consoante as famílias, mas alguns aspectos, mais do que teorias, são puro bom-senso.

Aqui ficam algumas:
-Use o seu, mantenha sempre a calma, e vai ver que a situação melhora.
-Não imponha regras só porque sim. Procure explicar a razão das mesmas. É claro que quando não é possível negociar mais, não hesite. Seja firme e não desarme perante a teimosia do seu filho.
-Não entre em discussões intermináveis. Só irá agravar a situação e prolongar o sofrimento. Mais uma vez, seja firme. Sabemos bem que é difícil, mas evite ao máximo os gritos e o descontrolo.
-Seja coerente: se, perante a desobediência do seu filho, ameaçou com algum castigo - razoável, claro está - cumpra o prometido. E não repita a ameaça mil vezes. Execute.
-Não altere constantemente as regras lá de casa. As crianças cumprem melhor as normas se pensarem nelas como sendo fixas e previsíveis.


(com base no texto: Desobediência, estratégias - PAIS&Filhos - 09 Outubro 2007)

Já agora abro o assunto para todos! O que pensam sobre o texto e esta problemática da vida de qualquer Pai e Mãe???

3 comentários:

mae joao disse...

“isto” do quem manda é complicado… Quem gosta que mandem em nós?
E para mandar é preciso saber…
Eu não sei (pior… odeio mandar) mas regras para mim nunca foram uma problemática mas sim um desafio!!!!

CÁ EM CASA NINGUEM MANDA!!!!!

Tento sempre aplicar a receita: Coerência + Estratégia + Paciência + Lógica + o(s) Outro(s) + Tolerância + Querer
A COERÊNCIA - não é mais que a harmonia
A ESTATÉGIA - tantas e tantas vezes difícil… muitas vezes o caminho é a imaginação
PACIÊNCIA – deste ingrediente não posso falar muito, sou uma pessoa demasiado paciente …o que estraga as coisas algumas vezes.
LOGICA – a razão de ser da regra… quando estiverem esgotadíssimos todos os argumentos podemos sempre aplicar “eu não percebo bem porquê mas tem que ser assim…”
O OUTRO - que implica o respeito pelos outros e por nós próprios… (uma imagem que “imponho” aos meus filhos: a vida não é uma feira popular nem nós somos carrinhos de choque… FUNCIONA!!!!)
TOLERÃNCIA – deles… nossa
o QUERER- o nosso…o deles
A isto tento acrescentar sempre o bom senso e ternura: EDUCAÇÃO E MIMO NUNCA SÃO EM EXCESSO.
Nunca usei o “velho argumento” do fazes isso ou aquilo porque sim ou porque eu quero!!!!!! (os minis são alforrecas?)
Acho que azeda a receita!!!!!!

Porque as regras são simplesmente fórmulas… e tal como na matemática se não as resolvemos ou o raciocínio está errado ou não nos lembramos da tabuada .

Também com os minis as “coisas” se assemelham a Matemática:
Primeiro aprendemos os números depois as contas, a tabuada, as equações, os sistemas, a geometria descritiva etc., etc, de repente somos doutores (muitas vezes nos testes ou exames tiramos nota negativa…)
Com os minis aprendemos/ensinamos as horas de mamar, de dormir, a canção das galinhas, as palminhas, a sentarem-se, a dar os primeiros passos, a comerem sozinhos, a fazer chici no bacio, a lavar as maõs antes de ir para a mesa……. E as regras vão surgindo…. E VÃO SENDO CUMPRIDAS!
É semelhante ou não é?!?!?!?!

Tem sido esta a minha matemática doméstica e a Mafalda, a Inês e o Salvador têm cumprido…. rarissimas vezes com nota “não satisfaz.

DIFICIL DIFICIL é dizer desisto….

Xana disse...

Achei este texto muito bom.
Em relação à minha opinião acho que é bem simples que quem manda são os pais.
Acho igualmente importante que as crianças percebam porque devem ser os pais a mandar.
Muito importante que entendam a razão do sim e do não e que não seja simplesmente sim porque sim ou não porque não.

É sem dúvida um assunto que dá para muita conversa.
Bjs

Petra disse...

E não é que já aprendemos com os nossos filhos.
Cruzámos os braços, baixámos a cabeça e amuámos.
Não respondo, Não comento, Não , Não e NÃAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAO.
Pois é , a Vera e o senso comum , têm toda a razão. Mas não deixa de ser dificil. Tinhamos de ser equilibrados e se há coisa que o ser humano não é é equilibrado. Principalmente nós os pais , que depois de um dia de trabalho, não conseguimos dar aquele "tempo de qualidade" de que falam nas revistas.
E depois, tentem lá manter a posição , quando têm uma doçura a dizer - "desculpa mãezinha, gosto tanto de ti, deixa-me dar-te um beijinho"

Bem, não, não e não, mas acabei por comentar. Será que se eles tiverem mais quem os ouça, que também com eles resulta?

Jocas